Como proteger seu filho do sol no próximo verão #coppertone

0 Comment

Como proteger seu filho do sol no próximo verão #coppertone

 

É preciso proteger a pele todos os dias, porém, no verão o cuidado deve ser redobrado, principalmente em crianças. Para cada idade e tipo de pele é necessário um cuidado diferente.

Participei recentemente de um encontro, a convite da Coppertone onde o tema era “Proteção Solar em Crianças“.

A Dra. Maria Helena Garrone dermatologista, nos deu uma verdadeira aula de cuidados e informações master importantes com a nossa pele, dos bebês e crianças. Quero dividir com vocês.

Pele do rosto em risco
Durante a gravidez o aumento de hormônios como o melanotrófico estimula a pigmentação cutânea. Assim, as mulheres podem observar algumas mudanças em sua pele como um aumento do número de sardas, pintas, e aquelas manchas escuras no rosto principalmente nas bochechas, nariz e testa, o melasma. Mas, essas alterações não são motivos de desespero, pois a tendência é elas desaparecerem nos primeiros meses após o parto, com o término das alterações hormonais. É muito importante passar o filtro solar no rosto nessa fase já que ele ajuda a aliviar as marcas e manchas que aparecem, e consequentemente facilita o desaparecimento das mesmas após o fim da gravidez.Para prevenção é ideal usar um protetor solar de fator acima de 40 e reaplicá-lo sempre que necessário. Também é aconselhável passar o protetor cerca de 30 minutos antes da exposição solar e reaplicá-lo a cada duas horas ou menos. Além da loção, roupas e bonés podem complementar a proteção.

O Perigo dos ácidos
Ácidos não são recomendados para tratar a pele quando se está grávida, mesmo quando a pele é oleosa ou possui acne. Tudo isso porque a isotretinoina, o ácido salicilico e retinóico podem afetar o desenvolvimento do bebê. Mas, a boa notícia é que para substituir esses componentes, podem-se ser usados produtos a base de vitamina C que ajudam no clareamento da pele até o término do aleitamento, quando a paciente deve procurar seu dermatologista para então começar um tratamento mais intenso.

Raios Ultravioleta

A exposição ao sol deve ser controlada principalmente entre as 10h e 16h.
Todas as camadas da pele são sensíveis à ação dos raios UV. Cada raio (UV-A, UV-B e UV-C) tem um comprimento de onda e uma característica, provocando efeitos diferentes na pele.

UV-C

  • Atinge camadas superficiais, é altamente destrutivo e carcinogênico.

UV-B

  • Está presente sempre que o SOL aparece, mas barreiras como o vidro da janela do carro são suficientes para impedir que chegue até a pele. Quanto mais sol, mais radiação.
  • 90% da radiação que atinge a Terra é absorvida pela epiderme!
  • É a radiação mais agressiva de todas e é o que provoca a vermelhidão e bronzeamento pois queima.
  • Aumenta a probabilidade de câncer.
  • Deixa a pele enrugada, flácida e provoca o envelhecimento precoce.
  • A vitamina D é sintetizada pela pele quando estamos expostas à essa radiação, mas os malefícios na pele tem efeito cumulativo por isso deve ser controlado.
O tempo necessário de exposição solar por dia para a síntese de vitamina D na infância é de 20 minutos na criança vestida ou 5 minutos na criança só de fralda, APENAS!
(E isso acontece naturalmente, não sendo necessário fazer banhos de sol.)

UV-A

  • Tem todos os dias independente do sol estar escondido pelas nuvens. O dia pode estar nublado e os raios UV-A estarão presentes no mormaço e luz natural durante todo o ano.
  • Penetra na derme ( camada mais profunda)

Os filtros físicos (à base de óxido de zinco e dióxido de titâneo) são mais indicados para as crianças. São mais difíceis de espalhar (e de sair) e hipoalergênicos.
Quanto maior o Fator de Proteção Solar (FPS), mais proteção. É importante que o filtro solar proteja contra esses dois tipos de radiação.

Bronzeamento
É um perigo! O bronzeamento é uma DEFESA do organismo contra a agressão que o sol provoca na pele. Quanto mais melanina, mais escura a pele, e menor a penetração da radiação UV-A e UV-B. Não existe um nível ou técnica segura de bronzeamento, nem solar e nem artificial.
Os especialistas classificam a pele de acordo com a pigmentação em 6 fotótipos:

  1. Pele branca: queima com facilidade; nunca bronzeia; extremamente sensível
  2. Pele branca: queima com facilidade; bronzeia muito pouco; muito sensível
  3. Pele morena clara: queima moderadamente; bronzeia moderadamente; sensível
  4. Pele morena média: queima pouco; bronzeia com facilidade; moderadamente sensível
  5. Pele morena escura: queima raramente; bronzeia bastante; pouco sensível
  6. Pele negra: nunca queima: pele muito pigmentada; não sensível

Apesar da pele negra não queimar com facilidade, o protetor solar deve ser utilizado por causa do efeito cumulativo desses raios UV-A ao longo da vida.

A exposição que uma pessoa sofre até os 18 anos é maior do que durante o restante da vida, por isso é muito importante prevenir desde cedo.Recomendações para as crianças:

  • O protetor (linha infantil) pode ser utilizado com segurança a partir dos 6 meses (antes disso não foi testado e não tem necessidade de expor a criança ao sol forte quando muito bebê).
  • Utilizar roupas com proteção solar, principalmente roupas de piscina.
  • Passar o protetor solar a cada 3h quando expostos diretamente ao sol.
  • Não abrir mão de chapéus, óculos e acessórios. (Quando a roupa de banho tem proteção no tecido e cobre todo o tronco da criança, fica mais fácil reaplicar o protetor pois precisa somente nos braços, pernas, rosto e nuca.)
  • Tornar o uso do protetor rotina diária, assim como o banho e o escovar dos dentes.

Mas atenção: na duvida sempre procure e consulte o pediatra ou dermatologista de sua confiança, ele saberá lhe dizer com certeza o tipo de pele do seu filho.

Adorei o convite e as informações passadas #coppertone #eufui
Foto em destaque: Abril
0 Comments

    Comente! Adoro sua participação!

    error: Cópia é crime!