Doenças comuns no inverno

0 Comment

Doenças comuns no inverno

O tempo seco, a queda na temperatura e a maior concentração de poluentes, características do inverno, colaboram para o aparecimento de efemeridades que afetam muitos indivíduos nesta época do ano. As doenças do inverno mais comuns atingem o aparelho respiratório e a garganta, e são causadas, na maioria das vezes, pela hipersensibilidade do organismo a algumas substâncias como a poeira, ácaros e fungos.

O sistema respiratório é o principal alvo de vírus e bactérias, que aproveitam os locais fechados para se espalhar. Conheça algumas efemeridades que costumam aparecer no inverno:

Amidalite – É uma inflamação das amídalas, que servem como filtros no fundo de nossa garganta, evitando a passagem de infecções da boca e dos seios da face para o resto do corpo. Pode ser causada por vírus ou por bactérias. Os sintomas são dor de garganta, dor ao engolir, febre, mau hálito e, às vezes, inchaço dos gânglios do pescoço.

Asma – É uma inflamação do pulmão e das vias aéreas, de fundo alérgico, caracterizada por chiados no peito, tosse e sensação de falta de ar. É conhecida por ser uma doença comum em crianças, mas pode surgir em adultos a partir de infecções por vírus e bactérias. Não há como prevenir o surgimento da asma, mas ela pode ser controlada desde que o tratamento seja seguido e que o paciente e sua família se conscientizem do problema.

Bronquite – É uma inflamação dos brônquios, que impede a chegada do ar aos pulmões. A forma aguda é causada por vírus e bactérias. A crônica é recorrente e não necessariamente fruto de infecção. Seus principais sintomas são: tosse seca com chiado seguida por tosse com eliminação de catarro, dor no peito, fadiga, mal estar e febre. Pode estar ligada a alergias e é agravada com o fumo ou o contato com fumantes.

Gripe – É uma infecção causada pelos vírus influenza, que é mutante. Doença altamente contagiosa, pode causar entupimento das vias aéreas, inflamação na garganta, dor muscular, dor de cabeça, febre alta, calafrios, fraqueza, tosse seca, espirros e coriza. A transmissão ocorre pelo ar, quando pacientes falam, espirram e tossem, e, indiretamente, pelas mãos e por objetos contaminados.

Otite (dor de ouvido) – É uma infecção bacteriana do ouvido médio, que fica entre o tímpano e o ouvido interno, muito comum em crianças. Normalmente, vírus e bactérias que infectaram a garganta migram até o ouvido e se multiplicam, graças às secreções da área.

Pneumonia – É uma infecção aguda dos pulmões, causada por bactérias, vírus ou fungos. Os alvéolos pulmonares ficam cheios de pus, além de muco e líquidos, o que impede a respiração correta. Normalmente, ocorre quando há falha nas defesas do organismo e pode surgir após uma gripe ou uma bronquite forte. Os sintomas são: tosse com catarro, dor no tórax, calafrios, suor, palidez e febre alta.

Resfriado – Muito confundido com a gripe, é uma infecção bem mais leve do nariz e da garganta, causada por outros vírus. Seus sintomas são espirros, tosse, dor de garganta, dor muscular, secreção nasal intensa, dor de cabeça e febre baixa. Não existe tratamento contra o vírus – os remédios são tomados apenas para aliviar os sintomas até a recuperação natural do organismo.

Rinite – É a mais comum das doenças alérgicas, causada pela inflamação ou pela simples irritação da mucosa do nariz. Os principais sintomas são espirros, coriza, coceira e entupimento do nariz.

Sinusite – É a inflamação da mucosa que reveste os chamados “seios da face” – cavidades do crânio em torno do nariz – causada por alergias ou infecções virais e bacterianas. Os principais sintomas são dor de cabeça, inchaço nas pálpebras, nariz entupido e dor nos olhos. Doenças comuns no inverno

Dicas para conviver melhor com o frio

 – Mantenha as roupas de cama limpas, especialmente os cobertores que costumam ser morada de ácaros, além de carpetes e cortinas que favorecem seu aparecimento;

– Retire o pó da mobília e limpe o chão com pano úmido, evitando o levantamento de poeira;

– Aproveite os dias de ensolarados para arejar a casa. O sol e o ar evitam que vírus e bactérias se proliferem;

– Evite o contato com a fumaça do cigarro;

– Use soro fisiológico nas regiões dos olhos e narinas, ele lubrifica a mucosa e evita irritação;

– Evite aglomerações de pessoas em lugares fechados e pouco arejados;

– Lave as mãos constantemente para evitar que vírus e bactérias se alojem nessa região;

– Beba muito líquido, mas evite as bebidas alcoólicas. Água e sucos são importantes para controlar a circulação sanguínea, composição das células, músculos e respiração.

É bom lembrar que em caso de qualquer suspeita acima, antes de tomar qualquer conduta medicamentosa, se deve procurar um médico.

0 Comments

    Comente! Adoro sua participação!

    error: Cópia é crime!