Soluço: saiba um pouco mais

11 Comments

Quem nunca teve soluços?

Se muito frequente atrapalha e incomoda.

E há mais de 3 anos eles tem estado muito presente. Como tenho refluxo já sei que o motivo, mas muitas vezes temos e achamos normal ou porque acontece com todo mundo.

Mas não é bem assim, em alguns casos, requer mais atenção. Achei essa matéria interessante e vale a pena saber mais.

Fonte da imagem: Google

O soluço é uma respiração com espasmo repentino e involuntário do diafragma, músculo respiratório situado entre o abdôme e o tórax. Geralmente, ele ocorre quando se come muito rápido, por indigestão, estresse, excitação e quando se fuma ou bebe em excesso. Todos esses fatores geram maior distensão do estômago, ou seja, um pouco de ar fica preso e acaba sem ter para onde ir.

Mas existem outras causas do soluço, como infarto agudo do miocárdio, hérnia de hiato, esofagite de refluxo, úlcera péptica, apendicite, colecistite aguda, glaucoma, infecções de garganta e ouvido, tumores do cérebro, pescoço, tórax e abdôme, meningite, uso de remédios como sedativos, alterações metabólicas como elevação do açúcar do sangue e queda dos níveis de potássio e sódio.

O espasmo provoca o fechamento da glote – a abertura localizada na laringe -, que serve de passagem de ar para os pulmões. Este fechamento é simultâneo à contração do diafragma, o que gera os “pulinhos” e o barulho característico de quem está soluçando.

A situação é engraçada e constrangedora, mas não apresenta riscos e passa depois de alguns segundos. Apenas em casos extremos há necessidade de um sedativo recomendado por um médico. “Crises (de soluço) são caracterizadas pela presença de quatro a sessenta soluços por minuto. Soluços que duram mais de 48 horas são chamados de persistentes e os que duram mais de um mês, intratáveis. Nestes dois últimos casos, o paciente deve consultar o médico pelo risco de doenças associadas”, diz a professora adjunta e chefe do setor de Motilidade Digestiva da Unifesp, Luciana Camacho-Lobato.

Fonte da imagem: Google

Para evitar o soluço, nada melhor do que comer devagar e pausadamente. Além de afastar o “hic-hic” da mesa, a tática ainda garante uma digestão mais saudável. Outra precaução é evitar encher demais o estômago, reduzindo a quantidade de líquidos e comida às refeições, além de fumar e beber menos e evitar o estresse.

Como fazer para o soluço parar:

Confira abaixo dicas de Luciana Camacho-Lobato, chefe do setor de Motilidade Digestiva da Unifesp, para fazer o soluço parar:

  • Beba água fria lentamente;
  • Respire fundo e prenda o ar o máximo que puder;
  • Faça gargarejos com água durante um ou dois minutos;
  • Coma açúcar, miolo de pão, gelo moído ou uma fatia de limão;
  • Respire repetidamente num saco de papel;
  • Puxe sua língua para provocar reações de vômito;
  • Coce o céu da boca com um cotonete de algodão;
  • Erga os joelhos até o peito e incline-se;
  • Tome o bom e velho susto! Parece crendice popular, mas funciona. 
Fonte: http://saude.terra.com.br/interna/0,,OI723330-EI1515,00.html

E você, o que pensa sobre isso? Compartilhe seu comentário.

Beijos!!!

11 Comments

Comente! Adoro sua participação!

error: Cópia é crime!