Você já ouviu falar da DST Clamídia?

0 Comment

Você já ouviu falar da DST Clamídia?

Silenciosa e ainda pouco conhecida pelas brasileiras, a clamídia é uma ameaça à fertilidade feminina pois ela ataca o sistema reprodutor da mulher. Se não diagnosticada a tempo, pode diminuir significativamente as chances de engravidar naturalmente.

A doença sexualmente transmissível é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal causa evitável de infertilidade. Dados apontam que, a cada ano, são 92 milhões de novos casos de clamídia em todo o mundo, fora os que não são diagnosticados.

Essa grande disseminação se deve ao fato de que, na maioria dos casos, a clamídia não apresenta sintomas aparentes ou, quando apresenta, pode ser confundida com uma infecção urinária. Além disso, os exames ginecológicos de rotina e o papanicolau não são capazes de detectá-la, por isso, é importante que a paciente peça ao seu médico para investigar a doença.

Clamídia é uma infecção causada por bactérias que podem atingir os órgãos genitais masculinos e femininos. Quando não tratadas, essas doenças podem dificultar a gravidez.·.

Sinais e sintomas:

Nas mulheres, somente cerca de 30% das mulheres com clamídia apresentam os sintomas. Os sintomas de clamídia que podem ocorrer em mulheres abrangem:
  • Sensação de queimação ao urinar
  • Dor no ato sexual
  • Dor ou secreção retal
  • Sintomas de doença inflamatória pélvica (DIP), salpingite, inflamação do fígado semelhante à hepatite
  • Secreção vaginal

Nos homens, um em cada quatro homens com clamídia não apresentam sintomas. Nos homens, a clamídia pode produzir sintomas similares à gonorreia. Eles podem incluir:

  • Sensação de queimação ao urinar
  • Secreção do pênis ou do reto
  • Sensibilidade ou dor nos testículos
  • Dor ou secreção retal

No bebê, acontece a Oftalmia Neonatal  que é uma conjuntivite do recém-nascido após contaminação durante o nascimento, a partir do contato com secreções genitais da mãe. Surge no primeiro mês de vida e pode levar à cegueira. As principais bactérias são a clamídia e o gonococo.

  • Sinais e sintomas – Vermelhidão e inchaço das pálpebras e/ou presença de secreção (pus) nos olhos.
  • Prevenção – Deve ser feita a prevenção em todos os recém-nascidos com um colírio, aplicado na primeira hora após o nascimento.
  • Tratamento – Toda oftalmia neonatal deve receber tratamento imediato para as principais bactérias causadoras (gonococo e clamídia), a fim de prevenir consequências graves, como a cegueira. A mãe e seu(s) parceiro(s) devem sempre ser avaliados e tratados.


Diagnóstico:

Por meio do exame ginecológico e coleta de secreções genitais, entre outros.

Tratamento:

Em geral, o tratamento para clamídia é feito com antibióticos, incluindo tetraciclinas, azitromicina ou eritromicina.

Você pode contrair clamídia com gonorreia ou sífilis, assim, se você tiver uma doença sexualmente transmissível, deverá ser testado para outras DSTs também. Todos com quem você manteve contato sexual devem fazer o teste para clamídia.

Os parceiros sexuais devem ser tratados para evitar a retransmissão da clamídia. Não existe imunidade significativa após a infecção, e uma pessoa pode ser infectada novamente.
Deve ser realizada uma avaliação de acompanhamento após quatro semanas para determinar se a infecção foi curada.

Prevenção
Todas as mulheres sexualmente ativas acima de 25 anos devem realizar exames de clamídia anuais. Todas as mulheres com novos ou múltiplos parceiros devem também realizar testes.
Um relacionamento sexual reciprocamente monogâmico com um parceiro não infectado é uma maneira de evitar essa infecção. O uso correto de preservativos durante o ato sexual normalmente.

Então o recado é se cuidar, se amar, se conscientizar e manter todos exames em dia. Evite que uma criança sofra por falta de responsabilidade dos pais.
Referências Minha Vida
0 Comments

    Comente! Adoro sua participação!

    error: Cópia é crime!